Receba todas as novidades!
Deixe seus dados e receba nossos conteúdos direto no seu e-mail:
Seu e-mail está seguro conosco :)
Escolha por onde quer falar:
Como se tornar Aromaterapeuta? O guia completo para atuar na Aromaterapia
Saiba tudo para ser um Aromaterapeuta apto e certificado para atender com segurança
Publicado em: 11/11/2020
A gente já explicou em um artigo do Instituto Ekanta (clique aqui) tudo que você precisa saber sobre como trabalha um profissional da aromaterapia. Mas resta uma pergunta: o que aprender em um curso de formação para aromaterapeutas que os capacite para atender com segurança?

Bom, antes de tudo, é importante lembrar que não existem pré-requisitos para se tornar aromaterapeuta. Você não precisa ser da área da saúde nem ter um curso superior. Aliás, não há um nível de escolaridade mínimo para fazer esse curso de formação, basta ter interesse em aprender.

Pensando nisso, selecionamos um índice com todos os conteúdos mais importantes com os quais você precisa ter contato em uma formação ideal. Isso vai ajudar você a buscar pelo melhor curso disponível. Confira:

  • Formação: o que um curso para Aromaterapeutas deve ter
  • Prática: não basta conhecer a teoria
  • Abordagem químico-física: propriedades e concentrações
  • Metodologia Integrativa: óleos essencias para além dos sintomas
  • Estudos científicos: publicações sobre impactos da Aromaterapia
  • Restrições: entendendo aplicações específicas
  • Certificação: como ter reconhecimento nacional de Aromaterapeuta
  • Marketing: como divulgar o seu trabalho como Aromaterapeuta
Formação: o que um curso para Aromaterapeutas deve ter
Você já sabe que para atuar como aromaterapeuta precisa ter um curso de formação adequado. O conteúdo, além de preparar você para atender com segurança, deve ensinar como se destacar na profissão.

Os melhores cursos têm mais de 300h/aula e preparam você para todas as áreas de atuação de um aromaterapeuta. Por isso, incluem práticas, trazem diferentes abordagens e ainda ensinam a fazer uma boa divulgação do seu trabalho.

Existem, portanto, alguns pontos-chave para você se perguntar:
  • A formação tem uma carga horária adequada?
  • Você precisa se deslocar para fazer o curso?
  • Vai ter acesso às aulas por quanto tempo?
  • Há um time tirando dúvidas e prestando assistência aos alunos?
  • Você vai receber um material didático completo?
  • Vai ter acesso a fornecedores e a uma rede de outros profissionais?
  • Você vai aprender a chegar aos seus clientes ideais?

Todas essas são questões elementares! Um bom curso deve oferecer apostilas, suporte e flexibilidade, além de dar possibilidade de começar do zero e ainda assim ter sucesso na profissão.



Práticas: não basta conhecer a teoria
Sim, não basta dominar a teoria de todos os óleos essenciais. Conhecer as propriedades e recomendações é imprescindível, mas você precisa praticar, fazer estudos de caso, testar possibilidades e entender a dinâmica de atendimentos.

Você tiraria um dente com um odontologista que nunca extraiu um? Pois é, um profissional só pode ter certeza sobre o que faz quando realmente coloca a mão na massa. E a segurança para atender na aromaterapia depende disso!

Dica: não caia na cilada de fazer um curso que não proponha a você desafios práticos e que não dê suporte para elucidar todas as suas dificuldades. Faça exercícios técnicos, pratique em você e em pessoas próximas e vá reunindo os resultados para adquirir experiência. Isso, claro, sempre com o auxílio de quem oferece o curso.


Abordagem químico-física: propriedades e concentrações
A base de toda prática é uma teoria sólida! E se, de um lado, os conhecimentos técnicos são fundamentais, entender os porquês de cada recomendação é tão importante quanto. Isso quer dizer que para ser aromaterpeuta, você precisa ter toda a ciência químico-física da aromaterapia.

Isso nada mais é do que dominar o que são óleos essenciais, o que compõe eles, quais as propriedades de cada um, quais são as concentrações adequadas, como diluir para cada forma de aplicação, quais são as indicações e contraindicações, entre outros tópicos-chave.


Metodologia Integrativa: óleos essencias para além dos sintomas
Entender a abordagem clínica ou integrativa da aromaterapia é indispensável em um curso profissionalizante. Isso porque o ser humano é completo: emoções, mente e corpo não podem estar separados.

Assim, a metodologia integrativa vai te auxiliar de duas formas principais:

  1. Entender que há uma relação psicossomática entre desequilíbrios e que os problemas podem ter origens muito profundas: em emoções, em experiências e em traumas, por exemplo;

  1. Compreender que você pode combinar os óleos essenciais com outras práticas na área da saúde. Nem todos os problemas podem ser resolvidos apenas com aromaterapia. Por isso, indicar outras especializações, como acompanhamento médico e psicoterapia são algumas possibilidades para os pacientes do aromaterapeuta que trabalha de forma integrativa.

Isso significa que, muitas vezes, o sintoma é só um sinal. A raiz do desequilíbrio precisa ser investigada mais a fundo. Além disso, pode ser necessário integrar diferentes abordagens.Todos esses aspectos vão para além dos óleos essenciais, mas entender a necessidade deles é imprescindível para que você seja um bom profissional.

Estudos científicos: publicações sobre impactos da Aromaterapia
Existem muitas publicações sobre os impactos e efeitos positivos da aromaterapia em diversos tipos de tratamentos. Aliviar a ansiedade e a depressão em pacientes com câncer, amenizar sintomas de TPM e controlar estresse são alguns dos tantos exemplos.

Além de fornecer conhecimentos teóricos, práticos e integrativos, é fundamental que o seu curso de formação traga estudos científicos. Você, como aromarterapeuta, precisa conhecer o que é consenso e o que há de pesquisas sustentando a sua prática.
Certificação: como ser reconhecido como Aromaterapeuta
Outro fator que fará toda a diferença na sua atuação é uma formação que ofereça um certificado reconhecido nacionalmente. Embora o Brasil não tenha leis ou normas que regulamentem o trabalho de aromaterapeutas, a certificação confere autoridade e ajuda a “filtrar” os melhores profissionais.

Fazer um curso que é vinculado a uma instituição respeitada, como a Associação Brasileira de Terapeutas Holísticos (ABRATH), é um diferencial. Priorize as formações completas, que incluam certificação ao final, e não corra o risco de não ser bem reconhecido na sua área posteriormente.

Marketing: como divulgar o seu trabalho como Aromaterapeuta
O que marketing tem a ver com aromaterapia? Bom, considerando que você precisa divulgar o seu trabalho, podemos dizer que tudo.

Para se destacar como profissional, não basta que você domine todas os conteúdos, práticas e aplicações. Você precisa chegar ao seu público-alvo e, mais do que isso, ao seu cliente ideal de forma assertiva.

Isso só é possível com uma base sólida sobre como fazer a comunicação da sua marca pessoal e dos serviços que você presta, independentemente da área em que você atue como aromaterapeuta.

Montar um site e ter presença digital, tanto em redes sociais, quanto em buscas no Google, são necessidades cada vez mais urgentes. Por isso, um módulo sobre marketing que inclua conteúdos sobre como você pode se posicionar e vender mais os seus serviços é um diferencial importante na formação ideal.

E você, ficou interessado em como se tornar um aromaterapeuta? O Curso Formação Aroma do Instituto Ekanta abre vagas a cada semestre. Entre na fila de espera clicando aqui.


Curtiu nosso conteúdo?

Compartilhe nas suas redes sociais!